Este é o meu refúgio, o meu abrigo. Aqui espelho o meu eu, sob a forma dos meus pensamentos feitos palavras...
Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2013
Há 43 anos

 

Uniram-se duas almas e dois destinos, duas vidas.

 

Teve início uma vida em comum e o aprofundar de uma história de amor começada alguns anos antes, para sempre registada na forma de cartas idas e vindas do Ultramar, ainda hoje cuidadosamente guardadas em maços selados com fitas de seda, envoltas num singelo pano e guardadas no fundo da arca do enxoval, talhada em cânfora. 

 

Dos anos comuns, houve de tudo um pouco e, seis anos passados, o amor de ambos frutificou sob a forma de uma criança há muito desejada.

 

Esta história terminou abruptamente, com a morte dele, mas o amor, esse, perdurou para sempre.

 

Ela juntou-se-lhe alguns anos depois e, quero acreditar, estão novamente juntos e libertos de todo e qualquer sofrimento, de qualquer sentimento menos bom, partilhando tudo quanto de bom ambos possuíam e olhando pela criança já adulta, que entretanto pronunciou o mesmo "sim" e persegue agora o sonho que, um dia, foi o deles: concretizar um amor lindo sob a forma de uma criança.

 

Há 43 anos, os meus pais casaram e a minha vida começou a desenhar-se no abstracto do seu amor e dos seus pensamentos.

 

Concretizou-se fisicamente há quase 37.

 

Hoje, quero dar-lhes os Parabéns e vê-los sorrir, senti-los felizes no meu coração, na certeza de que esta vida que juntos criaram os honrará para sempre, agradecendo-lhes o dom que é poder apreciar cada dia, cada momento e, acima de tudo, saber ser feliz.

 

Rosália.

 



publicado por scorpiowoman às 11:34
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 8 de Fevereiro de 2013
Oito anos depois

A 8 de Fevereiro de 2013 passam oito anos sobre a criação deste espaço.

 

Ainda por cima, o crédito da lembrança não foi, de todo, meu, antes de um querido Amigo que teima em passar por aqui, mesmo com todo o abandono que tem grassado. Será, porventura, o único resistente :)?

 

Oito anos... Já passaram mesmo oito anos?

 

Quase nem dei conta. E o que a minha vida mudou neste espaço de tempo! Contado, dificilmente alguém acreditaria.

 

Assim sendo, parabéns a este cantinho e que, mesmo em stand by, se vá aguentando por outros tantos.

 

Rosália



publicado por scorpiowoman às 11:46
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 25 de Janeiro de 2013
Incertezas

Foi um choque voltar a este cantinho que, confesso, tenho deixado ao abandono nos últimos meses.

 

Quase seis, a bem da verdade. Meio ano. Tanto, tanto tempo e tanta coisa que se passou desde então.

 

Acontecimentos bons, maus e assim-assim, reflexos da vida de qualquer pessoa e a minha não é, de todo, diferente. Apenas minha.

 

Já me questionaram porque deixei de escrever, porque deixei o blog de lado e, a bem da verdade, não há uma razão de ser que o justifique. Ou será que o deixar-me absorver pelo que acontece em meu redor, na minha vida, aos meus e aos nossos, o pode fazer?

 

Tempos de incerteza, estes, pontuados por uma vontade que também tem o seu quê de dúbio e paradoxal: Se, por um lado, me apetece isolar de tudo e todos, até mesmo do mundo, e ficar no meu canto, por outro, apetece-me partilhar o que por aqui vai (dentro de mim), em busca de um diálogo (embora creia que, sem leitores, será mais um monólogo... e bem merecido, não tenho dúvidas) que me permita alcançar alguma paz e serenidade, quando as mesmas escasseiam.

 

Sinto falta da inspiração, das letras que digitava quase sem pensar, formando as palavras que quase me afogavam o pensamento de tão céleres, numa cadência semelhante à do embater das ondas na costa em dia de mar revolto e tempestuoso.

 

Sinto falta deste espaço e não sei como o reavivar, reanimar, preencher.

 

Só sei que não o quero deixar morrer, não quero mais uma perda de mim.

 

Espero voltar. Neste momento, apenas consigo esperar.

 

Rosália.

 


sinto-me:

publicado por scorpiowoman às 12:02
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 27 de Julho de 2012
Até sempre, Minha Maria
Faz hoje oito dias que lhe disse adeus e lhe fechei os olhos, que olhei para o seu rosto e lhe sussurrei "bom descanso, minha querida", depois de horas de grande sofrimento.

Faz hoje oito dias que me despedi de (mais) uma das minhas pessoas, minha tia de coração, Escorpiã como eu e um dos meus amores, que adorava provocar-me (quase sempre por causa dos meus gatos, animais pelos quais não nutria grande simpatia) e fazer-me arroz-doce.
 
Faz hoje oito dias que lhe disse "até já, minha Maria" e prometi voltar no dia seguinte, para dizer que "sim senhor, é a minha tia" e acompanhá-la até à igreja onde ficámos até à noitinha a fazer-lhe companhia, a ela que sempre nos acompanhou e que, até ao fim, nos susteve de crermos no inevitável com o seu bom humor, as suas piadas bem-dispostas, a sua pessoa.

Faz hoje oito dias que os meus olhos secaram e eu não mais chorei, apesar de todos os dias as lágrimas me percorrerem por dentro, toldarem os meus pensamentos e me deixarem sem vontade de ler, escrever ou sequer pegar em agulhas, linhas ou tesouras, objectos que tantas recordações me trazem também da minha Maria, uma das maiores entusiastas das minhas "artesanices".

Faz hoje oito dias que morreu (mais) uma parte de mim. E estou triste.
 
Até sempre, minha Maria.

Rosália.

sinto-me:

publicado por scorpiowoman às 16:15
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 13 de Maio de 2012
Inesquecível
Inesquecível

 

A cumplicidade de duas vidas unidas num só destino: o nosso.

sinto-me:

publicado por scorpiowoman às 14:15
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 19 de Março de 2012
Hoje

 

Fernando Delmiro C. Sousa (09/06/1944 - 09/08/1986)

 

 

Porque a Vida nos afastou há mais anos do que aqueles que tive contigo.

 

A herança que em mim deixaste, de virtudes e defeitos, é indelével e o meu grande orgulho.

 

Imortal o amor que sempre te terei, pautado pela saudade do que não chegámos a viver.

 

 

Para ti, hoje e sempre.

 

Tua filha, Rosália.


sinto-me:
tags: ,

publicado por scorpiowoman às 16:15
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2012
Não mata, mas mói...

Já diziam tanto a minha avó materna (que me criou até à ida para a escola... naqueles tempos – felizes – até aos cinco anos, mais coisa, menos coisa) como a minha mãe.

 

Não, realmente não nos mata. Mas mói.

 

Não me mata ver os preços a aumentar e o ordenado há dez anos (sim, 10) sem crescer (apenas a decrescer, com taxas e sobretaxas e “aldrabices” do patrão que me tiraram quase dez contos – sim, contos, na moeda antiga, para que se tenha bem a noção – por mês e quase vinte contos em cada subsídio (sendo que isto foi feito no mês em que iria receber o subsídio de férias... sem aviso, nem pré-aviso e ainda com a “sorte” de, face ao período escolhido, o ter recebido (depois de reclamar durante quase uma semana, porque se tinham “enganado” e “esquecido” que era mês de pagamento... pois a partir de Agosto, toda a gente “ficou a ver navios” e o dito foi pago em prestações... até Dezembro. Mas mói.

 

Não me mata não me pagarem o vencimento de Dezembro porque, coitados, com a crise, não têm dinheiro e vão ter de pagar à semana (aos mais ricos) ou à quinzena (aos que recebem menos, o meu caso). Muito menos me mata que, faltando à palavra dada, não tenham cumprido e, hoje, dia em que deveria ter a minha “quinzenada” na conta, a mesma se encontre como tem estado... rasa, rasinha, quase tão lisa como uma tábua. Mas mói, se mói.

 

Não me mata ter de, mês após mês, ponderar cada vez mais as despesas e pensar se posso dar este ou aquele passo, com medo de depois me arrepender e o dinheiro fazer falta. Perder o sono a pensar como vou equilibrar o orçamento familiar para chegar um bocadinho a cada lado, pagar as contas, comer, conseguir ir trabalhar. Não, não me mata, mas mói.

 

Não me mata, nesta última semana, ver colegas com quem trabalho, funcionários “sem nódoa” que se lhes aponte, aqueles que realmente trabalham, produzem, são assíduos e pontuais, serem despedidos sem mais nem quê, alguns com quase tantos anos de casa quantos tem a própria empresa, sem dó nem piedade. Sem razão. Não, não me mata mesmo nada. Mas mói-me mais do que consigo, sequer, descrever.

 

Não me mata a crise. Matam-me todas as desculpas, ingerências, artimanhas e a desfaçatez que se acolhem sob a mesma, mascaradas, passando quase incólumes à vista de todos quantos teimam em usa-la como desculpa para um sem-fim.

 

Perdão, não, não me matam. Moem-me até à morte.

 

20/01/2012

 

Adenda: Não matou, de facto. Recebi a primeira metade do ordenado de Janeiro no dia 3 de Fevereiro... e hoje, dia 27 de Fevereiro, continuo à espera da imensa “fortuna” que são os restantes 333 euros que ainda não me pagaram. Ninguém recebeu. Ninguém sabe quando receberá e quem manda não sabe nem se, nem quando pagará. Nem sequer fazem ideia de quando cumprirão com o pagamento do ordenado de Fevereiro, já que nem o de Janeiro conseguem completar. Não me matou. Todos os dias pago para vir trabalhar, em vez de trabalhar para ser paga.

 

Não me mata. Mas mói cada vez mais.

 

Rosália, 27/02/2012


sinto-me:

publicado por scorpiowoman às 17:28
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Terça-feira, 14 de Fevereiro de 2012
Aos meus Pais

Muito antes de este dia ser sinónimo (muito comercial, sem dúvida alguma) da celebração do Amor, da exaltação do ser amado, de tudo quanto tradicionalmente (ou não) associamos ao amor que une duas pessoas, vocês escolheram a data de 14 de Fevereiro para unirem os vossos destinos, para se tornarem, enfim, um casal, almejando o tão esperado "e viveram felizes para sempre".

 

Assim, a 14 de Fevereiro de 1970 celebrou-se o matrimónio de Maria de Fátima e Fernando. Não foi para sempre, mas foi, sem dúvida, "até que a morte os separe".

 

Todavia, o mais bonito da vossa história ficou sempre por contar, porque as partidas da vida a isso obrigaram. Tal foi-me dado a conhecer aos poucos, um diário aqui, uma carta ali, muitas outras acolá e inúmeros bilhetinhos trocados entre ambos que parecem brotar dos livros mais inesperados.

 

Afinal, tudo quanto eu sonhava que podia ser, foi mesmo: Vocês tiveram uma linda história de amor e... olhem aqui o resultado :)! Demorei, mas cheguei e não podia estar mais grata por estar aqui e pela verdadeira bênção de vos ter tido como pais. Só tenho pena de não ter tido mais tempo convosco, mas tudo tem uma razão de ser, não é mesmo?

 

Mãezinha, lembro-me que, depois da partida inesperada do Paizinho para aquele lugar tão longe que não mais o pudemos ver, passámos a celebrar esta data entre nós. Era uma maneira de o mantermos (ainda mais) vivo dentro do nosso coração e presente nas nossas memórias. Havia sempre um miminho, sempre que possível a lembrar a vossa história, que marcava o dia. E eu sentia-me especial, porque sabia (sempre soube) que também este dia marcou o início de quem sou.

 

Paizinho, quem me diria a mim que só passados 25 anos (quase 26) desde que (não) me despedi de ti, começaria a conhecer-te melhor e a ver que, afinal, não somos assim tão diferentes? Que, apesar de quase nada me lembrar de ti e do pouco que me foi contado, temos tantos gestos, gostos e pensamentos em comum? Não imaginas o que foi descobrir-te, pelas tuas palavras, escritas pelo teu punho, quando encontrei as ímensas cartas que escreveste à Mãezinha enquanto andavas pelo Ultramar...

 

Agora que também eu vivo a minha própria história de amor, com bilhetes, postais, cartas e outras modernices como e-mails e afins, sinto que foi uma bênção poder resgatar as vossas memórias de um passado não tão longínquo quanto isso, mas até agora desconhecido para mim. Afinal, não somos assim tão diferentes e é finalmente chegada a hora de perder os medos e de sentir que mereço ser feliz, aconteça o que acontecer.

 

Hoje é dia de S. Valentim, Dia dos Namorados e celebra-se o amor.

 

Eu celebro a Vida e recordo-vos... sempre!

 

Aos meus Pais, Feliz Dia dos Namorados  e Feliz 42.º aniversário de casamento :).

 

Amo-vos muito... e obrigada pelo enorme Amor que trouxeram à minha Vida :). Tudo farei para o estimar, conservar e acarinhar, porque Ele merece :). Nós merecemos!

 

 

Rosália.

 

 

 (Foto retirada da net)


sinto-me:

publicado por scorpiowoman às 10:25
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2011
Um novo Natal, o mesmo sentimento...

... que (re)encontrei ao teu lado.


Família. O melhor de tudo. A maior bênção. O mais importante.

 

Com saúde. Com o suficiente para vivermos bem.

 

Contigo, connosco e com os nossos.

 

Festas Felizes.

 

Rosália.

 


sinto-me:

publicado por scorpiowoman às 19:43
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sábado, 25 de Junho de 2011
Um ano depois...
 
A minha vida mudou muito. Imenso. Para melhor, note-se!
A minha família cresceu, modificou-se. Já não sou só eu e os meus fiéis amigos de quatro patas. Recebemos-te a ti e aos teus e, juntos, formamos uma família maior e muito melhor. A nossa família.
Um ano depois, sou... Feliz. E aspirante, imagine-se!
Para o ano, desejo... ser ainda mais Feliz e uma mulher ainda mais completa, realizada e de bem com a vida do que já sou!
Amo-te!
Tu, assim do teu jeitinho, fazes-me ter vontade de te dizer... Sim!
 
Rosália, 25/06/2011
 

sinto-me:
música: Colbie Caillat, I Do

publicado por scorpiowoman às 00:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

Há 43 anos

Oito anos depois

Incertezas

Até sempre, Minha Maria

Inesquecível

Hoje

Não mata, mas mói...

Aos meus Pais

Um novo Natal, o mesmo se...

Um ano depois...

arquivos

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Julho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds