Este é o meu refúgio, o meu abrigo. Aqui espelho o meu eu, sob a forma dos meus pensamentos feitos palavras...
Terça-feira, 27 de Março de 2007
Procuro-te

saudade1.jpg


À noite.


Nos meus sonhos.


Em mim.


Onde estás?


Rosália, 27/03/2007



publicado por scorpiowoman às 00:36
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Segunda-feira, 26 de Março de 2007
Será que sabes...

... o quanto dói esconder o que realmente sinto?


Rosália, 26/03/2007


saudade4.jpg 


Love Show


(Skye)

Sit down, give me your hand
I'm gonna tell you the future
I see you, living happily
With somebody who really suits ya
Someone like me

Stand still
Breath in
Are you listening

You don't know
Somebody's aching
Keeping it all in
Somebody won't let go
Of his heart but the truth is
It's painless
Letting your love show

Break down. Give me some time
I don't want the fear to confuse ya
Right now, it's so wrong
But maybe it's all in the future with
Someone like you

Stand still. Breath in
Are you listening

You don't know
Somebody's aching. Keeping it all in
Somebody won't let go
Of his heart but the truth is
It's painless
Letting your love show

Maybe truth, maybe lies
Made me want you
Maybe dumb, maybe wise
I don't know

Somebody's aching
Keeping it all in
Somebody won't let go
Of his heart but the truth is
It's painless
Letting your love show
You don't know
Somebody's hurting
Holding it all in
Somebody can't let go
Of his heart but the truth is
It's painless
Letting your love show

Love show
Letting your love show



publicado por scorpiowoman às 00:25
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 24 de Março de 2007
Um só toque

tocar.jpg


Apenas um toque.


Tudo o que mais quero.


Tudo o que mais desejo.


Como dói esta saudade dentro de mim.


Rosália, 24/03/2007



publicado por scorpiowoman às 22:28
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 23 de Março de 2007
Um abraço

abraco.jpg


Sinto falta de te sentir.


Sinto falta de ti.


Até quando?


Rosália, 23/03/2007



publicado por scorpiowoman às 00:04
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quinta-feira, 22 de Março de 2007
Mal me quer, bem me quer...

saudade2.jpg


... muito, pouco ou nada.


Em cada pétala o pensamento, a saudade, o sentimento.


Mal me quer, bem me quer...


A tristeza de te não ver, a promessa vã de te encontrar.


... muito, pouco ou nada.


Queria abraçar-te, sentir-te, tocar-te.


Mal me quer, bem me quer...


Queria ter-te aqui.


... muito, pouco ou nada.


Mal me quer, bem me quer...


O que quererás tu?


Muito, pouco ou nada?


Rosália, 22/03/2007



publicado por scorpiowoman às 00:01
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quarta-feira, 21 de Março de 2007
No jardim

foto_primavera_304.jpg


Subitamente, perco-me no jardim, por entre canteiros repletos de flores, cujas cores vivas e brilhantes anunciam uma vez mais o recomeço de toda a Vida na Terra. Ao largo, os troncos e ramos das majestosas e imponentes árvores, quase todas mais velhas do que eu, cobrem-se de pequenos e verdes rebentos. Quando era pequenina, a minha mãe contemplava-os e dizia-me que, na sua infinita sabedoria, a mãe-Natureza mostrava assim ao Homem que na vida tudo tem um começo e um fim. Confesso que, na altura, pouco ligava a tais palavras, mas relembro-as muitas, muitas vezes e reconheço-lhes aquela razão que só sabemos existir quando quem no-la transmitiu quase sempre já não está entre nós.


É entre cores floridas e verdejantes que contemplo também as crianças que, felizes e exuberantes, brincam livremente sob um sol cálido e acolhedor e o olhar embevecido de quem as acompanha. Possuem uma energia que parece não terminar nunca. Riem, gritam, correm, saltam, balouçam, pulam. São crianças e, tal como as novas flores e os pequenos rebentos, também elas me lembram o que já fui e o que hoje sou, por entre um travo agridoce e uma pontada de saudade quando recordo o olhar terno e carinhoso de quem me acompanhava e já não está comigo aqui, ao meu lado.


Por momentos, perco-me de mim e a minha alma vagueia. O meu olhar vai além da candura e fragilidade das flores do canteiro que me está mais próximo e encontra o azul do céu, numa lembrança sentida da cor do teu olhar meigo que já não vejo há muito. Como gostava de poder estar agora contigo, partilhar este momento de paz e tranquilidade, sentir a serenidade do ar, poder...


- Tia! Tia, vem empurrar-me no balouço! - A vozinha da I., do alto dos seus quase seis anos, arranca-me ao breve torpor que, por momentos, me levou para bem longe.


- Tamém quéio! - reclama o R., meia-leca de três anos cuja energia não se esgota. - Tamém quéio!


- Sim, meus amores. Vá, venham lá. Com juízo! - Por momentos, tudo volta à normalidade.


Ou não!


- I. não puxes o mano! R. não empurres a mana! Meninos...


Rosália, 21/03/2007



publicado por scorpiowoman às 00:54
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 20 de Março de 2007
Perdida por entre as vozes do meu silêncio...

saudades.jpg


... mergulho no oceano infinito da minha alma e, em cada gota, encontro o reflexo das saudades que tenho de ti na lembrança da cor do teu olhar.


Sinto a tua falta.


Rosália, 20/03/2007



publicado por scorpiowoman às 00:12
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 19 de Março de 2007
Querido Pai...

ascan0004.jpg


Faz já muito tempo que partiste. Duas décadas que mais parecem um simples virar de página numa vida tão pequena e já tão cheia de histórias para contar como é a minha.


Não raras vezes sinto a falta de te ter conhecido melhor, de ter podido saber mais sobre ti, por ti e não pelas vozes de outros, de ter podido ver-te sorrir mais vezes.


Lembro-me de ti a levares-me ao cinema, a ofereceres-me livros de banda desenhada, a ensinares-me a jogar xadrez e divertirmo-nos imenso os dois a jogar (nunca mais joguei, sabes?), a pescar na companhia do Avôzinho.


Lembro-me de ti a sorrir.


Hoje como há já quase 21 anos não esqueço o momento em que a saudade começou em mim.


Hoje como há quase 21 anos continuas a viver dentro do meu coração, eternamente nas minhas poucas mas muito preciosas recordações de menina agora mulher que te ama muito e sabe que por mim serias capaz de tudo.


A mãezinha dizia que, se eu te pedisse a Lua, ias ao céu buscá-la.


Como já aí estás, não ta vou pedir. Deixa-a brilhar e embelezar a noite de todos nós.


Ofereço-te o azul dos oceanos, dos rios, dos lagos, das lágrimas das saudades que muitas vezes ainda choro quando recordo o teu sorriso lindo.


Dizem que o meu é igual. Será? Não sei.


Apenas sei uma coisa muito simples: Adoro-te Paizinho.


Tenho saudades tuas mas sei que, onde quer que estejas, deixaste para trás todo o sofrimento. Espero que alcances a luz e que, um dia, te orgulhes muito, mas mesmo muito de mim.


Feliz Dia do Pai.


Um beijinho da filha que te ama muito,


Rosália, 19/03/2007



publicado por scorpiowoman às 23:16
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Teimosia ou a lembrança de ti

tearsofthesoul.jpg


Imagem cristalina esta que fixo em mim, na tristeza de um olhar perdido na lembrança fugidia de ti.


Não ouso chorar, mas eis que uma lágrima rebelde teima em dançar vertiginosamente, ameaçando deslizar sobre o meu rosto a qualquer instante e quebrar toda a minha força aparente, aquela que julgavas ser impenetrável.


Olha-me. Sente-me. Toca-me.


Não quero chorar.


Não vou ceder.


Vou teimar.


Até quando ficaremos assim?


 


Rosália, 19/03/2007



publicado por scorpiowoman às 00:04
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 18 de Março de 2007
A voz do meu silêncio

avisse_silent_waves.jpg  


Sob um céu límpido e brilhante, sinto na minha pele a dança inebriante da brisa, que teima em brincar com os traços do ténue calor que desperta em mim, como se o próprio Sol, imponente e austero, me embalasse gentil e suavemente.


Por instantes, vejo-me obrigada a regressar à realidade. Olho o ecrã que se iluminou e escuto a melodia que toca e se perde por entre os ruídos do resto do mundo, que continua a sua marcha imparável fora de mim, enquanto no meu interior tudo pára, ao encontrar o teu nome na formação das letras que insiste em fazer-te chegar até mim.


Esqueço o azul, o calor, a brisa. Toda eu me transformo então e assumo a postura daquela que não sou. Torno-me fria, implacável. Amordaço todo o meu ser e todos os sentimentos, escondendo-os sob um manto impenetrável de indiferença credível, com o qual habilmente mascaro a minha voz. Em breves momentos, ouço-te e, ainda que sinta as feridas da saudade a surgir, escondo-as. Recolho-me em mim, como se à concha tornasse. Fim.


A máscara cai. Os olhos, escondidos sob as lentes que deveriam traçar melhor a realidade que me é exterior, que ainda há pouco assumiam uma expressão concentrada e centrada na não revelação do que realmente vive em mim, estão agora húmidos e apenas a habilidade da ilusão faz com que as lágrimas não corram soltas e finalmente libertas da sua prisão que sou eu. Retenho-as uma vez mais e prossigo como se nada fosse.


Iludo-me para não pensar em ti, procuro não lembrar a tua presença, o teu eu, o teu olhar, o teu toque. Silencio-te no calor da tua voz que não quero ouvir para não chorar mais.


Porém, é como se o azul do céu desmaiasse um pouco, a brisa se tornasse subitamente num vento frio que me incomoda e o Sol já não me embalasse, antes se escondesse, fazendo-me correr para o tentar alcançar.


Refugio-me dentro de mim e imagino-me exposta à força dos elementos, na beira de um qualquer areal, onde pudesse recolher-me a uma concha e perder-me ao sabor da maré, escutando as ondas tão perto e tão longe, deixando-me levar pelo grito silencioso da falta que sinto de ti.


Olho o horizonte.


Escutar-te-ei? Não sei.


Olhar-te-ei? Não sei.


Sentir-te-ei? Não sei.


A voz do meu silêncio é mais ruidosa do que tudo o resto.


A voz do meu silêncio são estas palavras.


A voz do meu silêncio és (tantas vezes) tu.


 


Rosália, 18/03/2007


 



publicado por scorpiowoman às 20:47
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

Há 43 anos

Oito anos depois

Incertezas

Até sempre, Minha Maria

Inesquecível

Hoje

Não mata, mas mói...

Aos meus Pais

Um novo Natal, o mesmo se...

Um ano depois...

arquivos

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Julho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds