Este é o meu refúgio, o meu abrigo. Aqui espelho o meu eu, sob a forma dos meus pensamentos feitos palavras...
Domingo, 24 de Fevereiro de 2008
Bate coração!

coracao2tf.jpg


Bate coração, não falhes agora!


Agruras, alegrias, tristezas e harmonias, todas em ti tiveram lugar!


Anos a fio de vida, de histórias, de contar e ensinar.


Bate coração, não falhes agora!


Vive uma vez mais nos teus semelhantes em nós e dá-nos esperança de que te veremos uma vez mais, a sorrir, a cantar e a todos acompanhar.


 Nesta estrada que é a Vida e onde queremos caminhar,


bate coração, não falhes agora!


Sente as nossas lágrimas que te querem avivar, porque te queremos perto de nós para aqui celebrar a vitória que és tu, no nosso sorriso e na nossa força, nas viagens sem parar.


Bate coração, não falhes agora!


Se parares, não saberemos como caminhar...


Rosália, 24/02/2008



publicado por scorpiowoman às 21:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008
Não há dois sem três...

escrever1.jpg


... e diz-se que, ao terceiro, é de vez.


Já aqui tenho escrito muitas vezes - escrito, apenas - sobre o tempo e sobre a velocidade impestuosa, infinita e impiedosa do mesmo.


No dia 8 de Fevereiro de 2005, aquele em que este cantinho nasceu para a blogosfera mas, acima de tudo - perdoe-me quem me lê - para mim, nunca ousei pensar que tantas palavras aqui seriam desenhadas, tantas visitas recebidas, comentários feitos.


Aqui, onde escrevo apenas, dou asas à minha escrita, ao meu Eu, ao que penso e sinto, sem medos, sem receios, sem espelhos ou miragens.


No terceiro aniversário deste canto - que não esqueci - não tive oportunidade de deixar algo que marcasse a data, mas redimo-me agora, ao som de uma música que tem marcados os últimos dias.


Escutem além da letra e deixem-se levar pela melodia... que é também escrita, apenas, nos sentimentos que nos carregam e que vivemos em cada dia-a-dia.


Fiquem bem!


Rosália, 21/02/2008


Apologize


Timbaland & One Republic


I'm holding on your rope,
Got me ten feet off the ground
I'm hearin what you say but I just can't make a sound
You tell me that you need me
Then you go and cut me down, but wait
You tell me that you're sorry
Didn't think I'd turn around, and say...

It's too late to apologize, it's too late
I said it's too late to apologize, it's too late

I'd take another chance, take a fall
Take a shot for you
And I need you like a heart needs a beat
But it's nothin new - yeah
I loved you with a fire red-
Now it's turning blue, and you say.
"Sorry" like an angel, heaven let me think was you
But I'm afraid...

It's too late to apologize, it's too late
I said it's too late to apologize, it's too late

It's too late to apologize, it's too late
I said it's too late to apologize, it's too late
I said it's too late to apologize, it's too late
I said it's too late to apologize, it's too late

I'm holdin on your rope
Got me ten feet off the ground...


 




publicado por scorpiowoman às 23:07
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2008
Embalo...

conchas.jpg


Levado pelas ondas do mar, o tempo percorre-se a si mesmo de forma indelével, simultaneamente lenta e veloz.


Entre as diferentes marés desenham-se anos e dias e, no balanço doce que por entre eles sente quem navega, passou quase despercebido o terceiro aniversário deste espaço onde, como concha à beira-mar esquecida, vou escrevendo apenas o que sinto vivo em mim...


No embalo contínuo, de natureza irrequita e intemporal, eterna e ainda assim volátil e efémera, esqueço-me de mim e deixo-me levar, procurando alcançar(-me) e descobrir(-me) a praia onde finalmente repousarei até que nova onda me recolha e me transporte até ao Grande Azul.


O poeta é um fingidor
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve
Na dor lida sentem bem
Não as duas que ele teve
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Fernando Pessoa, in Presença, n.º 36, Novembro de 1932


Rosália, 14/02/2008



publicado por scorpiowoman às 23:46
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

Há 43 anos

Oito anos depois

Incertezas

Até sempre, Minha Maria

Inesquecível

Hoje

Não mata, mas mói...

Aos meus Pais

Um novo Natal, o mesmo se...

Um ano depois...

arquivos

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Julho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds