Este é o meu refúgio, o meu abrigo. Aqui espelho o meu eu, sob a forma dos meus pensamentos feitos palavras...
Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2007
Memória de ti
 

memoria.jpg


Manhã primaveril, ainda um pouco cedo para um fim-de-semana que se adivinha um pouco agitado. Sob um límpido céu azul, desfrutando o calor de um sol radioso, sinto na pele as carícias irrequietas da brisa que teima em brincar ao sabor de correntes leves e indefinidas.


É num instante assim que os meus olhos encontram os teus e descubro um novo mundo de afectos e sensações que nunca havia vivido. Dás-me a conhecer toda uma nova perspectiva, entre o caos e a harmonia. Fazes-me crescer e querer ser melhor.


Sinto a empatia mútua, o interesse comum, o encanto que nos transmitimos, a vontade e o desejo enorme de estarmos juntos uma outra vez além da última.


Aprecio cada segundo que me é permitido passar junto a ti, tentando reter cada instante na minha memória, gravando o calor de um novo sentimento, maior e mais forte, indefinido mas seguro, que cresce e se fortalece dentro de mim.


 


Manhã de Inverno, perdida entre o cinzento que teima em perdurar e escurecer o céu que procura, em vão, alguma luminosidade. Sob as nuvens pesadas de chumbo da chuva que não cai ainda, perco-me no infinito de não saber como ou para onde dirigir agora os meus passos.


É num momento assim que busco refúgio no meu abrigo de eleição, junto ao mar revolto e ao ruído quase ensurdecedor das ondas que se erguem, revoltas, antes de embaterem violentamente, à imagem de toda a mágoa e angústia que sinto dentro de mim, contra as sólidas e ainda assim impotentes rochas que firmam as escarpas da falésia há tanto tempo familiar aos meus sentidos.


Relembro cada segundo que me foi permitido passar junto a ti, tentando esquecer cada instante guardado na minha memória, apagar o calor de um sentimento que morre lentamente, definido mas inseguro, que diminui e enfraquece dentro de mim.


 


Sei que seria o melhor para mim, mas não consigo esquecer e muito menos apagar da minha memória e do meu corpo os momentos vividos a teu lado. Tenho saudades tuas. Muitas. Imensas.


 


Sei que o melhor é esquecer-te e prosseguir.


 


Continuo.


 


Não te esqueço.


 


Rosália, 28/02/2007


 



publicado por scorpiowoman às 22:23
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

Há 43 anos

Oito anos depois

Incertezas

Até sempre, Minha Maria

Inesquecível

Hoje

Não mata, mas mói...

Aos meus Pais

Um novo Natal, o mesmo se...

Um ano depois...

arquivos

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Julho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds