Este é o meu refúgio, o meu abrigo. Aqui espelho o meu eu, sob a forma dos meus pensamentos feitos palavras...
Terça-feira, 5 de Dezembro de 2006
Desilusão

desiludida.jpg


Quando o mundo parece desabar sobre mim e tudo aquilo que acreditava ser verdade não foi mais do que uma quimera vivida a uma só luz.


Quando nada mais faz sentido e me questiono se vale a pena insistir, persistir e continuar, lutando no vazio abstracto do desconhecimento quase absoluto de ti.


Quando deixo de acreditar nos gestos, nas palavras, no ser.


Quando nada mais há do que as lágrimas que havia jurado não voltar a derramar.


Rosália, 5 de Dezembro de 2006



publicado por scorpiowoman às 10:24
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Rute Marques a 8 de Dezembro de 2006 às 17:27
Vale sempre a pena seguir em frente. Quem sabe se o futuro não será melhor que o passado? Há alturas na nossa vida em que pensamos que não pode haver algo melhor do que aquilo que já vivemos e já partilhamos com alguém, mas se fecharmos a "porta" ficamos sem saber se poderia ter havido outros momentos tão bons como os já vividos. Beijos e Força!


De aflores a 6 de Dezembro de 2006 às 21:18
Vamos lá colocar esse astral mais em cima :))))))))))Custe o que custar.


De Paulo Povoa a 5 de Dezembro de 2006 às 10:30
Quando nada mais existe de uma realidade que se julgava verdadeira e vivida em ambos os extremos.
Quando se perde uma parte da vida por essa realidade desaparecer e apenas sobrarem as lágrimas.
Pega-se nas lágrimas e transformam-se em raios de força que sustentam a falta da realidade em que se acreditava, molda-se o vazio para se tornar numa nova realidade, e com essa realidade que é de nós mesmos, viver essa realidade e ir trabalhando-a para se tornar na forma de viver que se deseja, e não no desejo que a vida nos quer fazer viver.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

Há 43 anos

Oito anos depois

Incertezas

Até sempre, Minha Maria

Inesquecível

Hoje

Não mata, mas mói...

Aos meus Pais

Um novo Natal, o mesmo se...

Um ano depois...

arquivos

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Julho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds