Este é o meu refúgio, o meu abrigo. Aqui espelho o meu eu, sob a forma dos meus pensamentos feitos palavras...
Domingo, 22 de Outubro de 2006
Gota a gota...

chuva1.jpg


Gota a gota cai a chuva de um céu cinzento e pesado como chumbo. Aqui, no calor do meu lar, aconchego-me enquanto conto os minutos que me separam do fim deste último período de férias que pareceu passar no voo célere de um qualquer pássaro.


Foram dias alegres e tristes, com surpresas boas e outras tantas preocupações. Durante duas semanas, esqueci o trabalho e dei folga à inspiração para escrever. Agora, ei-los que regressam novamente, prestes a enfrentar um novo futuro que se adivinha desconhecido...


Ao ver a chuva cair lá fora, sinto o meu rosto molhado e estaco. Dou-me então conta das lágrimas que rolam pelo meu rosto. Estaco. Compreendo. Choro afinal pela perda do que julguei ter recuperado, enquanto sorrio pela descoberta deste caminho já não tão novo assim que volto a trilhar e, mesmo que insegura e incerta, sei que de alguma forma atingirei a minha meta e, enfim, o equilíbrio.


Sem ti, faltar-me-á alguém a quem me dirigir quando as palavras faltarem e a voz for apenas uma recordação. Contigo, sei que nunca caminharia de novo. Aqui, estarás sempre no meu coração e na minha vida, embora já não no meu dia-a-dia.


Amo-te, sim... Contudo, amar é também saber que há caminhos de um amor de amizade feito, que se trilham a par e passo mas não já no mesmo percurso.


Amo-te... mas já não posso mais. Algo tem de mudar.


Como o tempo lá fora.


Rosália, 22/10/2006



publicado por scorpiowoman às 23:41
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De aflores a 27 de Outubro de 2006 às 17:03
O tempo está melhor. Pelo menos hoje.
Neste fim de semana é tempo de mudanças...no mínimo, da hora ;);)


De Ana a 23 de Outubro de 2006 às 13:40
é bom ver-te de volta, menina. Beijinhos!


De paulo povoa a 22 de Outubro de 2006 às 23:54
Tudo aconteceu, e tudo acabou.
Acabou até termos a nossa amizade, mas até a amizade parece não querer perdurar porque sempre nos estamos a magoar vezes sem conta.
Eu tento mas não consigo mudar, e assim mais vale acabar mesmo tudo porque eu sei que sempre te vou magoar.
Sei que se acabar te deixo sem ninguém, mas magoar-te também não faz bem a nenhum dos dois.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

Há 43 anos

Oito anos depois

Incertezas

Até sempre, Minha Maria

Inesquecível

Hoje

Não mata, mas mói...

Aos meus Pais

Um novo Natal, o mesmo se...

Um ano depois...

arquivos

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Julho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds