Este é o meu refúgio, o meu abrigo. Aqui espelho o meu eu, sob a forma dos meus pensamentos feitos palavras...
Quarta-feira, 17 de Agosto de 2005
Despedida sem fim...

pordosol.jpg


Olho mas não te vejo mais.


Estendo os braços abertos, mas já não encontras o meu abraço.


Esboço um sorrio vazio enquanto encaro o espaço oco que se estende à minha frente.


Procuro-te por todos os cantos, recantos e não te encontro a não ser aqui, neste cantinho bem guardado dentro de mim, no mais fundo e profundo da minha alma, esse canto esquecido no meu coração.


Aqui estás tu, linda, calma, tranquila e serena. É um encanto olhar-te assim, nessa paz que emanas e sempre me tentaste transmitir, independentemente dos tempos tão conturbados através dos quais me guiaste, conduzindo-me a ser o que hoje evidencio perante mim e os outros.


Diz-me: Quem sou eu afinal? Por que razão acordo agora, quase seis anos volvidos sobre a tua partida, imersa nas imagens desesperantes do teu adeus, angustiada pelo teu silêncio tão cheio de palavras que não chegaste a pronunciar? Por que voltaram agora todos os momentos que quis esquecer e deixar lá bem atrás, no passado, onde pertencem? Por que não consigo esquecer as esperas imensas nos cuidados intensivos, a angústia de te ver na enfermaria onde os dias custavam a passar, o regresso a casa tão cheio de esperança e tão efémero, o teu fechar de olhos perante a minha impotência final, presa nos meus braços que não largaste até ao fim? Afinal, serei eu a filha de que tanto te orgulhavas e pela qual tanto lutaste?


Já não sei... Aflige-me a tristeza que sinto no meu coração. Angustia-me despertar de noite a chorar pela dor de te julgar aqui e, ao acordar, ver que tudo não passava de um sonho enganador.


Choro porque sinto a tua falta, porque por muito que procure sei que não vais estar lá quando olhar em frente ou para todos os lados.


Sei que tenho outra família agora, que tão bem me acolheu. Sei que tenho alguém que me ama (e como me ama, Deus meu!) ao meu lado, que tudo faz para que sejamos felizes e nada nos falte nesta labuta diária que é a vida de todos nós. Sei que tenho os amigos (alguns, muito poucos... cada vez menos), presentes nas horas boas e más, especialmente nestas últimas.


Sei tudo isso, aceito-o, agradeço e sigo em frente. Por quê? Porque é assim que tem de ser. Foi assim que me ensinaste o que é viver.


No entanto, preciso que me digas: Por quê? Por que voltas tão de repente? Por que me acordas a meio da noite julgando-te aqui e me deixas sozinha a chorar por não te ter mais?


Sinto falta de ti, do teu rosto, dos teus gestos, das tuas palavras.


Sinto falta do teu abraço, sempre tão apertado e sentido, dos teus carinhos, dos teus beijos.


Sinto falta do teu colo e do bater do teu coração.


Por que tiveste de partir tão cedo, afinal?


Deixaste-me à deriva de mim mesma e, por muito que prossiga nesta cruzada sem passado, apenas futuro, em busca da vida, não sei o que fazer sem a tua orientação. Fazes-me tanta falta...


Diz-me: O que faço? Como continuo? Responde-me! Preciso que me respondas... Nem que seja no silêncio daquele beijo que ficou por dar, no sorriso esforçado de um último “gosto tanto de ti” suspirado e arrancado à Ceifeira no último instante, no eco da chuva que teima em não cair ou na flor que espero ainda ver um dia brotar...


Responde-me, peço-te, e deixa-me dizer-te adeus ou até depois uma vez mais, para que ambas possamos descansar e encontrar a tranquilidade de nos sabermos finalmente em paz.


Sei que esta é e será uma despedida sem fim... até um dia.


 


Rosália.


 


 



publicado por scorpiowoman às 02:23
link do post | comentar | favorito
|

5 comentários:
De Blueyes41 a 20 de Agosto de 2005 às 01:37
Como te entendo, amiga! É muito difícil esquecer quem nos deu o ser, quem nos amou... mas tu és e serás forte e darás a volta a todas as questões, nem que seja olhando uma flor ou a luz que sai de uma vela, numa oração por quem mais amas! Beijinhos!


De docerebelde a 18 de Agosto de 2005 às 17:00
Momentos que ficam gravados no DISCO RÌGIDO da nossa memória.......Felicidades!....Bjs


De paulo povoa a 17 de Agosto de 2005 às 12:27
Meu amor
eu sei que poderia dizer vou ajudar-te a ultrapassar isso, mas não é algo que se possa dizer nesta situação.
nesta situação apenas posso dizer que espero que consigas despedir-te uma vez mais, que te consigas despedir as vezes que forem necessárias para a tua alma ficar mais tranquila, para o teu coração não chorar tanto.
sempre vou estar ao teu lado e sei que a unica coisa que posso fazer é estar presente ao teu lado sempre a dar-te o meu amor.
amo-te minha dulcineia, mas desta vez não é o dom quixote que tem de lutar contra os moinhos e as montanhas, desta vez és tu dulcineia que tens de fazer essa luta e vence-la para a tua alma e o teu coração se acalmarem e conseguirem ser felizes.


De angelis a 17 de Agosto de 2005 às 12:09
A vida é feita de partidas, de chegadas, de reencontros e despedidas. A vida é: um suspiro...Uma hesitação...Uma brisa sussurrante.Por isso sê: Um suspiro que console. Uma heistação repousante. Uma brisa acariciante.
No teu coração, nas tuas lembranças ela vive e rspira, como se estive ainda do teu lado...não chores, pois enquanto a sua presença e memória estiver viva no coração...ela permanece ao teu lado, aconchegando-te e sendo essa brisa acariciante e a vida se encarregará de te dar as respostas...basta saber ouvi-las nos recantos da alma.


De aflores a 17 de Agosto de 2005 às 08:54
Há acontecimentos na nossa vida que jamais serão esquecidos. Uns melhor que outros...outros que teimam em permanecer e outros que teimamos em esquecer . Encontrarás sem dúvida o rumo certo para todas essas questões.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

Há 43 anos

Oito anos depois

Incertezas

Até sempre, Minha Maria

Inesquecível

Hoje

Não mata, mas mói...

Aos meus Pais

Um novo Natal, o mesmo se...

Um ano depois...

arquivos

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Julho 2012

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Junho 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds